Deixe um comentário

VI. Capítulo I – PRINCÍPIOS DOUTRINAIS

A MISSÃO DO FILHO 

3.“ O desígnio universal de Deus, para a salvação do gênero humano, realiza-se não somente de modo quase secreto na mente humana, ou por iniciativas religiosas, pelas quais os homens de mil maneiras buscam a Deus, no esforço de chegar até Ele”(cf. At. 17,27)….mas, “para estabelecer a paz e a comunhão com ele e uma sociedade fraterna entre os homens… Deus determinou entrar de modo novo e definitivo na história dos homens, enviando Jesus Cristo ao mundo como verdadeiro mediador entre Deus e os homens” (Cl 2,9)….”.Constituído como cabeça da humanidade renovada, cheio de graça e de verdade” (Jo 1,14)… “Jesus veio para fazer os homens participantes da natureza divina e, sendo rico, fez-se por nós  necessitado para que nos tornássemos ricos da sua pobreza” (2Cor.8,9).

JESUS ANUNCIA O REINO

Nas Sagradas Escrituras, muitas vezes fala-se de Javé como Rei: Ele é o Rei dos reis. Mas quem será o Messias que instaurará concretamente o Reino de Deus? Eis a grande novidade: Jesus anuncia que o Reino de Deus já está presente em sua própria pessoa (Lc 11,20)

O Reino de Deus mostra-se como realidade dinâmica, sempre em crescimento. Trata-se do “já, porém ainda não”, ou seja, de uma escatologia que vai se realizando. É isso que falam as parábolas do Reino. Uma delas, particularmente significativa, é a parábola da  semente de mostarda (Mc 4,30-32)

O Reino de Deus, a grande paixão de Jesus, se caracteriza pela vida:”Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10). Ao ser humano, mesmo fraco e limitado,  entrega também a grande vocação de colaborar com Ele para que a vida cresça no mundo.

Seus discípulos não tiveram clareza disso de um dia para outro. O compromisso definitivo com Jesus foi fruto de uma longa caminhada com Ele e da ação do Espírito Santo que os ajudará a “entender toda a verdade” (Jo 16,13)

O REINO DE DEUS ACONTECENDO – Jesus questionou e bateu forte contra os poderes: político, religioso, social, econômico quando defendia os valores fundamentais do Reino que está ainda distante à medida que houver tanta desigualdade: crianças abandonadas, corrupção e tantos outros males que continuam assolando a sociedade. Ele continua dizendo à sua Igreja que é preciso e urgente contagiar o mundo com os valores do Reino per Ele apresentados. Mas, para que isso aconteça é necessário um novo ardor missionário em todos os cristãos a quem é confiada a tarefa de transformar o mundo: “Vão vocês também para a minha vinha” (Mt 20,7)

Igreja e Reino –Deve ficar bem claro também que, se não é possível separar o Reino da pessoa de Jesus,  também não se deve identificar a Igreja com o Reino. A Igreja está no mundo a serviço do Reino, já acontecendo na história e aberto ao futuro. O Reino, neste sentido, é mais amplo do que a Igreja.

O caminho da missão, portanto terá, no Reino de Deus, seu objetivo. Percorre as trilhas do Reino, reconhece-o nas pegadas dos povos e culturas e colabora na construção de sua plenitude, sendo sal da terra e luz do mundo (AG 36 -LG 9)- Sinal de fraternidade levantado entre as nações (AG 36, GS 92), fermento da sociedade (GS 40; 44), germe do reino (LG 5; 9), instrumento da redenção universal (LG 1; LG 9; GS 42).

PARA DIALOGAR E AGIR

  1. Quais são as exigências do Reino de Deus?
  2. Existem sinais de que o Reino de Deus está acontecendo entre nós e no mundo?

Pe. Paulo De Coppi PIME
E-mail: pe.paulo@missaojovem.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: